domingo, 10 de janeiro de 2010

TROCA

A poesia é invendável:
não vende
não se vende
não se venda.

A poesia é ininventável:
não deixa de ser vento
jamais.

A poesia é inevitável.

(Fabio Rocha)

5 comentários:

ABES - Associação Boqueirãoense de Escritores disse...

Ler Poesia é arrepiante!

Lembrei de um haicai que escrevi:

"O vento reflete nossa imagem
mas nunca traduz o espelho
refletor que há em nossa'mente"
(Mirtes Waleska Sulpino)
http://mirteswaleska.blogspot.com

Abraços fraternos ;)

Fabio Rocha disse...

Obrigado, Mirtes! Abração

ABES - Associação Boqueirãoense de Escritores disse...

Fábio, caropoeta!

Peço-lhe que conheça esse nosso projeto:
http://abespb.blogspot.com

E se possível ajude a ampliar a nossa biblioteca.

Abraços recitados,
Mirtes Waleska Sulpino

Luiz Libório disse...

"Tá ouvindo, Mundo?
é Disso que eu tô falando!" =)

Fabio Rocha disse...

Yeah!!!!